sexta-feira, 12 de agosto de 2011

ERA UMA VEZ... O MEIO AMBIENTE!!!!


             Qual seria a importância do meio ambiente hoje para a sociedade? Uma pergunta simples, porém com respostas duvidosas. A questão ambiental sempre é discutida por todos os entes públicos, no sentido de haver uma preservação das áreas verdes brasileiras. Mas tal ideologia nobre não alcançou a consciência de indíviduos ávidos em ganhar dinheiro, através da hiperexploração dos recursos naturais.
             Os governantes procuram concretizar medidas de proteção em passos de tartaruga. Os desmatadores destroem em passos de homens desejosos por alcançar fortunas. E assim gera-se o discurso utópico de redução dos índices de devastação ambiental formulados por órgãos governistas. Não seria essa redução relacionada ao fato de não haver mais o que devastar no local??
             Do ponto de vista normativo, a Constituição Federal garante tanto o desenvolvimento econômico quanto a defesa do meio ambiente. Essas duas garantias fundamentais se colidem inevitavelmente, causando formadores de opinião de ambos os lados. Cada um defende aquilo que mais lhe agrada, e a maioria dos Poderes Públicos Municipais escolhe autorizar grandes construções, mesmo sabendo dos significativos impactos ambientais. Não podemos ser hipócritas, afinal, muitos candidatos políticos são eleitos por conta dos vultosos patrocínios de determinadas construtoras, bem como de algumas empresas interessadas em obter "facilidades" perante os gestores públicos.
            Interessante notar os animais ameaçados de extinção presentes nas cédulas do nosso dinheiro. Seria realmente uma lembrança de que devemos preservar-los ou um irônico registro de que suas mortes representam o desenvolvimento nacional??
            O IBAMA alega com toda a razão de que não dispõe de efetivo suficiente para fiscalizar  a imensa área ambiental. Solução do Governo: Provavelmente esperar que a fauna e a flora diminuam consideravelmente, através da ação criminosa de empresários, ficando uma área passível de fiscalização. Pronto. A política de contenção de despesas da União está a todo vapor, só não é tão potente quanto a máquina de derrubar árvores dos madeireiros.
            Vivemos a história de "Era uma vez". A lenda de Peter Pan, Cinderela e outras figuras nem se comparam ao meio ambiente, que vive mas não existe nos planos preservacionistas dos seres humanos. O que será das nossas crianças quando o meio ambiente se for? Desempregaremos a caipora, o saci pererê e o boto cor de rosa. Estas lendas sim, sentirão saudades da época que eram lembradas. Quem sabe eles ganhem notoriedade nas cédulas de dinheiro.... porque nos livros culturais suas aparições serão consideradas uma mentira inventada por aqueles que um dia viram o meio ambiente.

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Olá Sampaio, agradeço a sua presença! Muito bom o seu blog. Você tocou num ponto importante: a demagogia das pessoas. Mas partiremos do fato que sou um mero analista jurídico imparcial. Agradeço a sugestão sobre o crime organizado falarei em breve.

    ResponderExcluir
  4. Doutor Lázaro,

    Sem dúvida, muito pertinente o tema escolhido para abrir o seu blog. A natureza sofre com a ganância humana. Ainda dá tempo de reverter esse quadro. A legislação tem que mexer no bolso desse pessoal, aí te garanto que a coisa muda de figura.
    : )

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Vou inaugurar aqui também e "cutucar" um pouco o tema - gosto da polêmica. O ser humano se diz diferenciado dos demais animais por ser racional, mas desmatar algo que faz parte do sistema que o sustenta - certamente não é algo racional vindo desse ser racional. Burro em virtude da ganância! Só por isso, penso que não. Pode ser também em vitude de outros aspectos envolvidos. Concurdo que a legislação tem que mexer no bolso desse pessoal. Adicionalmente, tem que haver uma preparação das gerações futuras para poderem extrair de forma racional os recursos naturais. Uma concientização das gerações atuais (jovens e adultos) não é excluída de tal pensamento. Ainda tem o fato de que o ser humano parece ser uma espécie de praga, ou sei lá o que... Gente que não acaba mais e a tendência é só aumentar. Em contrapartida, os recursos diminuem... O planeta Terra pode viver sem o homem e sem o seu ecosistema (alguns milhões de anos e ela se reconstituie), mas o homem não vive sem o planeta e nem muito mesmo sem seu ecosistema - até os tempos atuais, não. É isso! Abraço para todos!

    ResponderExcluir
  6. oi Lázaro,

    passando pra visitar seu canto

    ;D

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. A maneira mais segura de se ser enganado é julgar-se mais esperto do que os outros.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir